O que são pisos?

Os pisos são as peças utilizadas para revestir o contrapiso ou chão. Não precisamos nem dizer o quanto eles impactam no design da casa. Felizmente existem hoje muitos tipos e modelos de pisos.

Porém, a escolha do piso certo também deve assegurar conforto e praticidade na hora da limpeza. A escolha do modelo e tipo de material está diretamente ligada à função do cômodo e as atividades que serão realizadas nele.

Por exemplo, deve-se avaliar o desgaste que o piso irá sofrer, se haverá tráfego intenso de pessoas ou veículos. Também deve avaliar se o piso estará sujeito à água, umidade e sol.

Neste post vamos mostrar quais são os modelos e tipos de pisos mais comuns em residências. Também explicaremos como funcionam as classificações de resistência vs. local de uso. E por último, como de costume, mostraremos o passo a passo para fazer a instalação dos pisos. Boa leitura!

Modelos e tipos de pisos

Existem inúmeros modelos e tipos de pisos no mercado, os mais comuns são:

Peças cerâmicas

Como o próprio nome já diz, as peças cerâmicas são feitas de material cerâmico e possuem diversos tipos de acabamentos, cores e desenhos. São recomendados para várias áreas da casa, porém existe um tipo certo para cada local de instalação.

As peças cerâmicas tem diferentes tipos de acabamentos, os mais comuns são:

  • Brilhante: com esmalte de alto brilho
  • Acetinado: esmaltado, porém com um brilho mais discreto
  • Estampado: esmaltado com diferentes desenhos e estampas

Porcelanatos

Também é um tipo de cerâmica, fabricado com alta tecnologia de prensagem com elevadas temperaturas. Este processo de fabricação resulta em uma peça com alta resistência e baixa porosidade, ou seja, pouco absorção e água. São usados em todos os ambientes da casa, mas cada tipo de acabamento tem as suas características.

Porcelanato polido

Estes porcelanatos são polidos e possuem uma camada protetora, o que facilita sua limpeza e torna a superfície muito lisa e brilhante. São indicados para ambientes secos, pois são muito escorregadios quando molhados, como salas, corredores e quartos.

Porcelanato acetinado

O porcelanato acetinado tem um acabamento com brilho mais discreto, e é mais resistente a riscos e com maior aderência quando comparado ao porcelanato polido. Ele torna o ambiente mais aconchegante e é ideal para quartos, salas e áreas externas.

Porcelanato esmaltado

Este tipo de porcelanato recebe uma camada protetora de esmalte, por isso o nome esmaltado. Esta camada permite que a peça tenha estampas com diferentes desenhos. Ele pode ser utilizado em ambiente úmidos e secos.

Na hora de comprar este tipo de porcelanato é muito importante se atentar a resistência do esmalte (PEI), assim como para pisos cerâmicos. O PEI dirá se a peça poderá ser utilizada somente em paredes, no chão e paredes de lugares secos de pouco tráfego, de áreas externas e etc. Falaremos mais sobre o PEI mais a frente.

Porcelanato struturato

Já o porcelanato struturato tem uma superfície levemente abrasiva. Por isso ele é uma ótima opção para áreas úmidas como banheiros, decks, garagens, área de piscinas e saunas.

Porcelanato natural

São porcelanatos que não possuem acabamento especial em sua superfície, ou seja, não são polidos e nem esmaltados. Ele possue superfície com acabamento matte, opaco, o que o torna mais resistente e pouco escorregadio. Indicado para áreas externas de residências e para ambientes comerciais

Pedras

As pedras estão disponíveis em diversos tamanhos e cores. Podem ser utilizadas em ambientes internos e externos. Deve-se tomar cuidado em evitar utilizar pedras porosas em ambientes úmidos. Quando bem combinadas, as pedras garantem alta durabilidade nos ambientes.

Pisos cimentícios

São fabricados com concreto de alto desempenho, possuem alta resistência mecânica e durabilidade. Muito utilizados em áreas externas com modelos antiderrapantes e atérmicos (que não esquentam sob o Sol).

As peças para usos em áreas externas exigem impermeabilização para reduzir a absorção de água e gordura e assim facilitar a limpeza.

Na hora da limpeza deve-se tomar cuidado em utilizar os produtos indicados pelo fabricante e nunca produtos ácidos, pois os pisos cimentícios não resistem à abrasão.

Piso fulget

Conhecido popularmente como granilite rústica, o piso fulget é uma massa de cimento misturada com aditivos e granulados de pedras moídas, como granitos, mármores, quartzos, entre outras. Ele é altamente antiderrapante, com uma superfície muito áspera.

Sua instalação requer mão de obra especializada, pois exige a colocação de juntas regulares para evitar fissuras.

Pisos drenantes

O piso drenante é um material geralmente feito de concreto ou resina mais fibras naturais, podendo até ser feito de pneus reciclados. Possui uma instalação fácil e a favor do meio ambiente.

Este tipo de piso possibilita que a água da chuva escorra para o solo, evitando problemas de enchentes e contribuindo com o meio ambiente.

Ele pode ser produzido em várias cores e é indicado para áreas de jardins, beiras de piscina, calçadas, acesso a garagens.

Pisos de concreto intervalado

São peças modulares feita de concreto e em diversas formas geométricas, espessuras, cores e texturas. Os bloquetes, como são popularmente conhecidos, são utilizadas em áreas externas, caminhos e áreas de lazer.

Este tipo de piso possui vida útil longa, baixa manutenção e não requer mão de obra especializada para aplicação. Eles podem ser instalado de várias formas formando desenhos ou visuais geométricos.

Os pisos intertravados podem ser assentando de forma intervalada com grama no jardim, aumentando mais a ainda a permeabilidade geral da região.

Tipos de cortes

Existem duas categorias quanto ao tipo de corte para as peças cerâmicas e porcelanatos. As peças podem ter cortes retos (retificados) ou arredondados (bold).

Pisos e revestimentos tipos de corte

Corte reto ou retificado

As placas de piso retificado possuem acabamento reto e preciso. Podem ser rejuntadas com um espaçamento de apenas 1,5mm.

Isso garante um acabamento mais regular e causa um efeito visual sofisticado e “clean” ao ambiente.

Corte arredondado ou bold

Já as placas com bordas bold apresentam um arredondamento nas bordas. Para essas placas recomenda-se rejuntes com espessura de no mínimo 3mm.

Com este tipo de corte o rejunte fica mais aparente e o visual do piso mais rústico.

Resistências e locais de aplicação

Para escolher o material e o tipo do piso, você deve ficar atendo as especificações da sua resistência e local indicado para instalação. Esta avaliação é necessária para garantir a durabilidade e segurança, pois não queremos ninguém escorregando nos pisos de banheiros e varandas, não é mesmo?

As peças cerâmicas são classificadas quanto sua resistência a abrasão através do PEI (Porcelain Enamel Institute). Elas são classificadas em 6 grupos, sendo:

Grupo
Características e utilização
0
Peças destinadas as paredes, pois possuem baixíssima resistência, não suportando tráfego pequeno de pessoas.
1
Peças destinadas a quartos e banheiros, possuem resistência baixa, mas suporta pequenos tráfegos de pessoas descalças ou com sapatos leves.
2
Peças para áreas internas, com resistência média. Porém não resistem ao ambiente externo e ambientes de cozinha.
3
Peças para áreas internas, com resistência média-alta. Podem ser utilizadas em cozinhas, sacadas e corredores.
4
Para ambientes de tráfego mais intenso, com resistência alta, pode ser utilizada em todos os ambientes de uma construção residencial, incluindo garagens.
5
Para ambientes de tráfego muito intenso, com resistência altíssima, podem ser utilizadas em ambientes comerciais, públicos e industriais.

Não esqueça que para locais úmido, seco ou de tráfego mais intenso, além dos tipos de peças e acabamento você deverá escolher o tipo de argamassa colante correta. E mais, para assentar pisos brancos e claros é recomendando usar a argamassa branca.

Como você pôde ver são diversas opções de pisos para áreas internas e externas da sua casa! Se você ficou com alguma dúvida não deixe de compartilhar nos comentários ou nos enviar através deste formulário.

Como fazer a instalação de um piso

Preparação do ambiente

A assentamento dos pisos só deve ocorrer depois que os revestimentos de parede estejam prontos. O piso pode ser colocado ao mesmo tempo, tanto nas áreas exteriores da casa como interior.

03 - COMO FAZER - LIMPEZA AMBIENTE

Em primeiro lugar, certifique-se que a superfície onde será assentado o piso está regularizada, com o caimento de água correto e livre de sujeiras e materiais.

Verifique também se o ambiente está no esquadro, ou seja, que os cantos formam ângulos de 90°. Isso facilitará o alinhamento das peças de porcelanato e evitará recortes na diagonal.

Marcação e paginação

O próximo passo é a paginação das peças do local, ou seja, onde o trabalho deverá começar para evitar que o assentador ande sobre as peças recém instaladas, como também para evitar um grande número de recortes no ambiente.

04 - COMO FAZER - MARCAÇÃO PAGINAÇÃO

Os recortes dos pisos devem ser feitos nas posições menos visíveis, por exemplo, canto onde vai ter armários e móveis, atrás do vaso sanitário e embaixo de bancadas. Deve-se evitar ter recortes na entrada do cômodo.

A instalação dos pisos deve iniciar no canto oposto da porta de entrada do ambiente, mas para garantir que não haverá recortes na entrada é feita um linha mestra em “L” da porta até o canto oposto. Esta linha servirá de guia para o alinhamento das demais peças no ambiente.

Assentamento das peças

A aplicação da argamassa deve ser feita no chão com desempenadeira dentada numa espessura de mais ou menos 0,5cm. Verifique se o tipo de argamassa está correta para o local de uso.

05 - COMO FAZER - ASSENTAMENTO EM L

Fique atento, para peças com tamanho maior do que 30x30cm recomenda-se aplicar argamassa no fundo da peça com os sulcos no sentido contrário dos sulcos feitos no chão para melhorar aderência.

06 - COMO FAZER - ESCADINHA

Durante o assentamento das peças verifique o posicionamento, alinhamento e se estão utilizando espaçadores específicos para o tamanho da peça escolhida.

Retirado do ar e limpeza

Após fixar a peça, o profissional deverá usar um martelo borracha para retirar todo o ar que pode ter ficado preso entra a peça e a argamassa.

As superfícies das peças devem ser limpas com pano úmido depois da instalação para evitar manchas.

Rejunte

Após o tempo de cura (secagem) da argamassa, geralmente 1 dia, é realizado o rejunte das peças. Confirme se o rejunte escolhido é compatível com o tipo de material do piso e tipo de corte (retificado ou bold).

07 - COMO FAZER - TUDO ASSENTADO + MEIO REJUNTE

O rejunte deve ser aplicado com o auxílio de uma espátula adequada. Lembre-se de pedir para limparem os excessos de rejunte com pano para evitar manchas.

Instalação do rodapé

Os rodapés são colocados para fazer o acabamento nas junções do piso com as paredes. Eles podem ser feito com recortes do piso e devem ser instalados após a secagem o rejunte.

08 - COMO FAZER - RODAPÉ

Como calcular os materiais de construção?

Quantidade de peças

Para determinar a quantidade de pisos, você precisará primeiro calcular a área da superfície a ser revestida multiplicando a largura x comprimento.

Depois, é só calcular a área da peça escolhida considerando a espessura do rejunte, ou seja, basta multiplicar (comprimento da peça + espessura rejunte) x (largura da peça + espessura do rejunte).

Agora é só dividir a área da superfície a ser revestida pela área da peça escolhida para saber a quantidade de peças.

Uma dica importante é levar em conta a taxa de perda de materiais, pois peças de revestimentos podem precisar de recortes e quebrar durante o processo.

Argamassas

Para calcular a quantidade de argamassa colante você precisará multiplicar a área da superfície a ser revestida pelo rendimento da argamassa escolhida se for comprar a argamassa pronta.

Os fabricantes indicam o rendimento nos sacos, mas fique atento que para peças menores que 30×30 o rendimento é maior do que para peças maiores.

Já se você for fazer a argamassa na obra, precisará multiplicar a área da superfície a ser revestida pela espessura média da argamassa (geralmente 0,5cm) para achar o volume de argamassa.

Depois, é só multiplicar o volume de argamassa pelo rendimento (quantidade de areia, cal ou aditivo e cimento) do traço escolhido.

Achou complicado calcular a quantidade de pisos e argamassa? Não perca tempo com isso, use as nossas calculadoras de materiais para facilitar a sua vida. É gratuito!

Compartilhar:

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *