A instalação hidráulica representa 3% do custo total da obra, mas é responsável por mais de 70% dos problemas pós construção ou reforma. Lembre-se, refazer custa mais caro que fazer, por isso temos que ficar atentos a esta parte da construção.

Se você não quer ter dor de cabeça na construção de uma casa, vale a pena ler este post. Na primeira parte vamos explicar o que é cada parte da instalação hidráulica residencial.

E em segundo lugar, vamos mostrar o passo a passo de como fazer a instalação hidráulica. Confira!

O que é instalação hidráulica?

Em uma residência, a instalação hidráulica é composta basicamente pelos: projetos arquitetônico e hidráulico, caixa d’água, redes de distribuição de água fria e quente, e coleta de esgoto e água pluviais.

Projetos e planejamento

Uma boa instalação hidráulica começa com um bom projeto arquitetônico e hidráulico.

O projeto arquitetônico é muito importante planejar onde ficarão e como serão usados os pontos de água. O projeto deve ter a localização dos registros, chuveiros, pias, duchas, ralos, grelhas, tanque, máquina de lavar, entre outros elementos hidráulicos. Nele também é definido se terá fornecimento de água quente para as torneiras e chuveiros.

Já o projeto hidráulico é complementar ao projeto arquitetônico e analisa os aspectos técnicos da instalação hidráulica. Nele são definidos por onde passarão as tubulações, posição e suporte da caixa d’água, características e tipos de tubos e conexões, entre outras partes do sistema.

Infelizmente o projeto hidráulico é considerado auxiliar e por isso a maioria das casas não tem este projeto. Como consequência os proprietários acabam gastando mais na compra de materiais e tendo muitas dores de cabeça em reformas e manutenções.

Agora, para executar o serviço e fazer o sistema hidráulico da sua casa igual ao projeto é necessário contratar um bom encanador. Como as instalações hidráulicas estão presentes em praticamente todas as etapas da construção, recomendamos que você contrate um profissional qualificado para acompanhar a obra da fundação ao acabamento.

Caixa d’água

A caixa d’água é um reservatório localizado acima da laje onde é armazenada a água que abastecerá a casa. Atualmente as caixas d’água são feitas de polietileno, um tipo de plástico muito resistente, e a capacidade varia de 310 até 5000 litros.

O que é caixa d’água

A caixa d’água é normalmente composta pelo reservatório e as tubulações de alimentação, extravasor (ladrão), abastecimento, limpeza e ventilação (suspiro).

A capacidade de armazenamento da caixa d’água deve ser planejada para atender uma residência completa por 1 dia considerando uma média de 200 litros por pessoa. Assim, uma casa 2 dormitórios (4 pessoas), deve ter no mínimo 800 litros de capacidade.

Alimentação

A tubulação de alimentação tem a função de encher o reservatório da caixa d´água com água potável provinda do sistema público, ou de poços ou minas. Sua entrada no reservatório se dá pela parte superior da caixa, onde deve ser instalada a boia.

A boia tem função de controlar o volume de água dentro do reservatório. Quando o nível de água fica abaixo do nível mínimo da boia, ela abre e permite a passagem da água. Quando a água na caixa atinge o nível da boia ela fecha para o fluxo de água.

Extravasador ou ladrão

O extravasor ou ladrão, tem função de evitar que a caixa d’água transborde. Ou seja, ele entra em ação quando a boia falha.

Caso a boia falhe, o ladrão escoa a água do reservatório para fora da casa, evitando assim que a caixa d’água transborde e inunde a laje e o interior da residência. Ele deve ser alocado num nível superior a tubulação de alimentação para poder cumprir seu objetivo.

Abastecimento

A tubulação de abastecimento é aquela que retirará água da caixa d’água e distribuirá para os pontos de uso como torneiras, chuveiros, etc.

Ele deve ser instalado em um ponto baixo na parede do reservatório para facilitar a vazão da água.

Limpeza

A tubulação de limpeza é utilizada para auxiliar na limpeza da caixa d’água. Ela deve ficar no ponto mais baixo possível do reservatório ou no fundo dele para facilitar a retirada total de água e sedimentos que houverem.

Ventilação

Tubo de ventilação possui objetivo de retirar o ar de dentro do sistema quando o nível de água baixa, ou quando a caixa é esvaziada e acaba entrando ar na tubulação.

Rede de água fria

As tubulações de água fria são responsáveis por distribuir a água potável vinda rede pública ou caixa d’água para as pias, vasos sanitários, chuveiros, tanque da lavanderia, torneiras de jardim, etc.

Rede de água fria

A água sai do reservatório para o barrilete, e deste desce pelas colunas de distribuição e por tubulações e conexões chega até os pontos de uso.

Geralmente os tubos e conexões utilizadas na distribuição interna de água fria são feitos de PVC (soldável ou roscável).

Nos pontos de uso são utilizadas as conexões azuis de PVC roscável. Estas conexões tem uma rosca interna feita de latão e são utilizadas para conectar as torneiras e registros dos pontos de consumo com base roscável.

Rede de água quente

A rede de água quente é responsável por aquecer e distribuir a água quente para os chuveiros e pias.

Em casas, os aquecedores mais comuns são os elétricos, a gás ou solares. Fique atento ao tipo de gás que é utilizado no aquecedor a gás, ele pode ser o natural (encanado) ou GLP (de botijão). Os aquecedores podem ser divididos em dois grupos, de passagem e por acumulação.

Os aquecedores de passagem são pequenos e aquecem a água ao passar dentro deles. Eles possuem a desvantagem de atender poucos pontos por vez. Um exemplo de aquecedor de passagem elétrico é o próprio chuveiro elétrico.

Já os aquecedores por acumulação são os boilers onde ocorre o aquecimento da água em reservatórios. A sua principal vantagem é de fornecer uma boa quantidade de água quente prontamente disponível.

Os aquecedores solares têm ganhado bastante atenção nos últimos anos devido a redução do preço e por economizar no consumo de energia. O sistema exige um espaço para exposição solar, instalado normalmente nos telhados.

Ele é composto pela placa solar, boiler e tubulações. A água fria entra na parte inferior da placa solar. Conforme o sol aquece a água dentro da placa, a densidade da água diminuie fazendo com que ela suba dentro da placa até chegar  na saída para o boiler.

Rede de água quente

As tubulações e conexões mais usadas atualmente na rede de água quente é o CPVC soldável, um tipo de PVC mais resistente a altas temperaturas.

Além do CPVC, os outros materiais utilizados na rede de água quentes são o cobre, PPR (Polipropileno Copolímero Random) e PEX.

Atenção, os tubos de PVC simples não podem ser utilizados, pois não resistem ao calor e podem ocasionar problemas.

Rede de esgoto

A rede de esgoto residencial é responsável por retirar os efluentes provindos das peças sanitárias, pias e ralos de sua casa para o sistema de esgoto da cidade.

Rede de esgoto

A água suja coletada deve passar pela caixa de gordura antes de ir para a rede pública. As caixas de gordura ficam dispostas sob o solo e recebem gordura e restos de alimentos. Impedindo que estes entrem na rede pública e causem entupimentos. Elas precisam de limpeza periódica, geralmente de 6 em 6 meses.

Outro item importante são as caixas de limpeza ou inspeção.  É a caixa instalada na fase da ligação da rede de esgoto e possui o objetivo de proporcionar a inspeção, reparos e desobstrução da rede.

O sistema de esgoto tem seu escoamento realizado pela gravidade. Portanto as tubulações precisam ter uma certa declividade para que o escoamento possa ocorrer. Para tubulações com diâmetro menor ou igual a 75mm, a inclinação deve ser de 2%. Já se o diâmetro for superior a 100mm recomenda-se uma inclinação de 1%.

Os tipos de tubos e conexões utilizados são os de PVC próprios para linha de esgoto, o PVC branco para esgoto série normal ou reforçada.

Vale ressaltar que as águas pluviais não podem ser conectadas com o sistema de coleta de esgoto.

Rede de água pluviais

A rede de água pluviais é responsável pelo escoamento das águas das chuvas. Esta água não é potável, mas pode ser armazenada em cisternas e reutilizada para regar o jardim e dar descargas. Importante ressaltar que não se pode juntar as águas pluviais com o sistema de esgoto, devido ao grande volume das chuvas nas épocas chuvosas.

O sistema de água pluviais começa no telhado com a utilização de calhas, bocais de escoamento e tubos de coleta da água em grelhas ou escoamento na sarjeta em frente ao lote. As grelhas são como ralos utilizados para escoar as águas pluviais que se acumulam sobre os pisos.

Rede de água pluviais

O sistema coleta de águas pluviais tem seu escoamento realizado pela gravidade. Portanto as tubulações precisam ter uma certa declividade para que o escoamento possa ocorrer. Recomenda-se uma inclinação de 1%, podendo variar com o regime de chuvas da região caso necessite de vazões maiores.

Os tubos e conexões subterrâneas são de PVC de linhas próprias para drenagens de águas pluviais.

Como fazer a instalação hidráulica?

Ligação de água e esgoto

Para começar você precisará ter o projeto hidráulico feito por profissional qualificado e sua obra deve estar com a ligação de água feita nas especificações da concessionária de sua cidade.

Instalação das tubulações esgoto e pluviais

Para construções com fundação radier, é necessário dispor as tubulações de esgoto no solo antes da concretagem da fundação. Verifique se o tipo, dimensão e posicionamento dos encanamentos dos ralos e sanitários estão iguais ao projeto.

Instalação das tubulações esgoto e pluviais

Para construções com outros tipos de fundação, essa etapa ocorre após o levantamento das paredes e antes da realização do contrapiso.

Passagem das tubulações na laje

Antes da concretagem da laje, verifique se os encanamentos responsáveis pela conexão da caixa d’água e reservatório de água quente com os respectivos pontos de uso estão passados e posicionados nos locais corretos.

Passagem das tubulações na laje

Posicionamento das tubulações de água fria e quente

Com as paredes já levantadas, inicia-se a fase de posicionamento dos encanamentos através de cortes na alvenaria.

Posicionamento das tubulações de água fria e quente

Confira se as posições dos cortes estão coerentes com as localizações dos pontos de águas e registros do projeto.

Instalação da caixa d’água

Geralmente a instalação da caixa d’água e feita somente após a colocação do telhado. Verifique se as tubulações instaladas nos locais certos e teste o funcionamento da boia e ladrão.

Instalação da caixa d’água

Teste de estanqueidade

Após a instalação de todos os encanamentos e registros é recomendado que se faça o teste de estanqueidade das tubulações antes de fechar os rasgos e instalar os revestimentos das paredes.

Confirme que todos os registros das peças de utilização foram fechados e encha toda a tubulação com água.

Teste de estanqueidade

Espere e observe por uma hora se ocorrerá vazamentos nas ligações e conexões. Na imagem circulamos alguns exemplos destes locais de maiores riscos, que devem ser checados nesse teste. Caso vazamentos não ocorram, a sua instalação foi feita corretamente.

Instalação das tubulações de água pluviais

A instalação da tubulação de águas pluviais começa com instalação de calhas no telhado e tubos de queda. Verifique que a água escoe para os bocais de escoamento.

Depois com a realização das tubulações para coleta de água sobre os pisos externos. Verifique o funcionamento das grelhas e se as tubulações possuem inclinação para o escoamento da água.

Instalação das tubulações de água pluviais

Por final as águas pluviais são direcionadas dentro de tubulações para a sarjeta. Confirme que toda a água escoa perfeitamente até a rede de coleta pública.

Compartilhar:

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *