Ao pensarmos em reformas, principalmente de revestimento de superfícies, associamos logo a ideia ao trabalho e à geração de entulho.

Porém, com técnicas mais bem elaboradas, como a do piso sobre piso, essas preocupações podem ser deixadas de lado. Para isso, basta tomar alguns cuidados e fazer a aplicação da maneira correta.

Como esse assunto ainda não é amplamente conhecido, fizemos este post para lhe ajudar. Nele, você encontrará o que é esse processo e quais são os cuidados básicos para que o serviço seja satisfatório e você não tenha dores de cabeça no futuro.

Então, leia com bastante atenção até o final! Vamos lá?

O que é o piso sobre piso?

Uma residência, devido ao uso e desgaste, necessita de algumas manutenções ao longo dos anos.

Em relação ao piso, é possível que ele seja danificado, perca a cor, não combine com alguma decoração ou se torne ultrapassado. Para evitar toda a poeira e escombros, surgiu a técnica do piso sobre piso.

Com ela, não é preciso quebrar o piso anterior. Em vez disso, assenta-se o novo revestimento sobre o antigo, otimizando assim todo o serviço.

Porém, é preciso ficar atento. Nem todo material pode passar pela técnica do piso sobre piso. Revestir madeira, por exemplo, é um erro já que ela se dilata e se contrai conforme a temperatura, o que inviabiliza esse processo.

O ideal é que se consulte um profissional para verificar as possibilidades.

Quais as vantagens de se utilizar esse processo?

Já falamos que não é preciso quebrar e lidar com entulho, mas o que isso significa na prática? Economia!

Quais as vantagens de se utilizar esse processo

Os gastos diminuem muito, pois você não terá que contratar alguma empresa para realizar a demolição e o descarte, além do tempo de serviço ser muito menor.

Assim, o dinheiro gasto com mão de obra — que é uma das maiores despesas nesse tipo de tarefa — é bem menor.

Como aplicar a técnica e quais cuidados devo tomar?

O primeiro passo é fazer uma boa verificação do seu piso atual.

Se você notar que alguma peça está se soltando, retire-a antes de iniciar o procedimento e preencha seu espaço com argamassa. Caso perceba algum sinal de problemas estruturais como infiltrações, eles devem ser resolvidos logo para evitar complicações futuras.

Depois disso, é preciso limpar bem toda a superfície antes de aplicar o novo assoalho.

Também é importante lembrar que, como você está fazendo o assentamento sobre o chão antigo, a espessura ficará maior. Apesar de termos hoje disponíveis no mercado materiais mais finos, é preciso se certificar das mudanças que talvez serão necessárias no ambiente, como a adaptação de portas.

Durante a execução, alguns cuidados devem ser tomados. A argamassa, por exemplo, deve ser do tipo colante própria para essa tarefa e ser aplicada tanto na superfície quanto em toda área da peça, não apenas o centro e suas extremidades.

Além disso, é importante que o rejunte tenha uma espessura adequada e que o tempo de secagem seja respeitado para garantir que o trabalho seja bem finalizado.

O piso sobre piso é uma maneira simples e econômica de renovar um ambiente. Mas, para isso, é preciso utilizar materiais de boa qualidade e mão de obra qualificada.

Só assim é possível garantir o seu conforto e a sua satisfação. Portanto, pesquise bastante antes de tomar suas decisões e obtenha o melhor resultado possível.

Agora que você sabe mais sobre a técnica do piso sobre piso, quer tirar alguma dúvida? Ou deseja conhecer outras técnicas e materiais para construção? Então nos siga no Facebook, LinkedIn e Youtube, para receber mais informações como essas em primeira mão!

Compartilhar:

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *