Com o avanço das tecnologias e a descoberta de novos materiais, as alternativas da construção civil se expandiram. É possível perceber isso quando se trata, por exemplo, de revestimentos e acabamentos das paredes de uma obra.

Dentre os possíveis métodos, os mais comuns são o reboco tradicional e o gesso liso. Muitas vezes, pode ser complicado decidir entre as duas opções, mas não se preocupe.

Neste post, vamos explicar tudo sobre cada uma dessas técnicas, incluindo suas principais vantagens. Continue a leitura e confira!

O que é o reboco tradicional?

Como o nome já diz, esse é o método mais usual. Para executá-lo, são utilizados materiais como cimento, areia fina e água. Tal mistura é a chamada argamassa, útil para a alvenaria.

O que é o reboco tradicional?

O uso desse tipo de revestimento envolve três fases. Primeiramente, tem-se o chapisco. Trata-se da primeira camada de argamassa, que é mais porosa e áspera, causando maior aderência à próxima camada.

A segunda fase é o emboço, que funciona como um nivelamento do chapisco. Então, chega-se ao reboco, sendo essa a camada mais fina e leve. Todas essas etapas são feitas com diferentes tipos de argamassas.

Vantagens e desvantagens

Uma das principais vantagens desse tipo de material é sua durabilidade e resistência. Por apresentar cimento em sua composição, ele é extremamente sólido e forte. Isso evita transtornos, como a necessidade excessiva de reformas.

Outra característica positiva é a alta impermeabilidade. Além disso, é possível fazer modificações, como furos, para o encaixe de móveis e decoração — quadros e retratos, por exemplo.

Porém, o preço desse processo é relativamente alto, além de demandar maior tempo e mão de obra. Outra desvantagem é a possibilidade da ocorrência de trincas em novas construções, já que as paredes passam por um período de ajuste em que se dilatam e contraem.

Quando utilizar

O reboco é muito indicado para locais com grande umidade, como banheiros, cozinhas e paredes externas que serão atingidas por água proveniente da chuva. Ele também é recomendado para muros com acabamento e lavanderias.

CTA info etapas da construção

E o gesso liso?

O gesso liso é uma tendência que está em crescimento no mercado de construção. Essa opção se destaca por ser capaz de substituir todos os processos, desde o chapisco até o reboco. Basicamente, coloca-se apenas o gesso como revestimento.

E o gesso liso?

Vantagens e desvantagens

O custo final do gesso, quando comparado ao do reboco, é bem menor. Sem contar que o processo é mais rápido e não requer tanta mão de obra.

O acabamento já fica praticamente perfeito. Na maioria dos casos, não é necessário o uso de massa corrida, sendo possível ir direto para a parte da pintura. Para garantir essa perfeição, entretanto, é preciso que os profissionais responsáveis tenham experiência e sejam de alta qualidade.

Além disso, o processo não é indicado para todos os casos. Devido à sua alta solubilidade, o gesso não deve ser usado em cômodos que recebam muita umidade ou em paredes externas sem proteção. Além disso, ele é menos resistente e mais propenso a infiltrações.

Quando utilizar

Esse tipo de gesso é recomendado para lugares com menor propensão a infiltrações, como apartamentos, e para usos menores, como a cobertura de furos. Essa também é uma boa opção para paredes internas ou de madeira.

Uma edificação não é um bem descartável e, portanto, deve ser feita com todo o cuidado. Os revestimentos são parte importante da construção, portanto consulte profissionais capacitados para decidir qual alternativa é a mais adequada à sua necessidade.

Este post ajudou você a entender mais sobre os revestimentos? Então, para ter mais informações úteis em primeira mão, assine nossa newsletter! E aproveite a sua visita e cadastre-se no nosso Boletim Quinzenal para receber no seu e-mail as melhores dicas e informações sobre obras.

CTA Boletim Quinzenal Blog PraConstruir

Compartilhar:

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *